203 — O que é a Confirmação?

     A Confirmação é o Sacramento que completa o Batismo e pelo qual recebemos o dom do Espírito Santo. Quem se decide livremente por uma vida como filho de Deus e pede o Espírito de Deus, sob o sinal da imposição das mãos e da unção com o Crisma, obtém a força para testemunhar o amor e o poder de Deus e pede o Espírito de Deus, sob o sinal da imposição das mãos e da unção com o Crisma, obtém a força para testemunhar o amor e o poder de Deus com palavras e atos. Ele é agora um membro legítimo e responsável da Igreja Católica.

Quando um treinador manda um jogador de futebol para o campo, põe-lhe a mão sobre o ombro e dá-lhes as últimas instruções. Assim também se pode compreender a Confirmação. É-nos posta a mão, entramos no campo da vida. Pelo Espírito Santo, sabemos o que temos a fazer; Ele motivou-nos até à ponta dos cabelos; o Seu envio ressona-nos no ouvido; sentimos a Sua ajuda; não frustraremos a Sua confiança e decidiremos o jogo por Ele; agora, é só ter vontade de escutá-lO. (119, 120)

204 — O que diz a Sagrada Escritura sobre o sacramento da Confirmação?

     Já no Antigo Testamento, o Povo de Deus esperava a difusão do Espírito Santo sobre o Messias. Jesus viveu a vida num especial Espírito de amor e de perfeita união com o Seu Pai do Céu. Este Espírito de Jesus era o “Espírito Santo” que o Povo de Israel almejava; e era o mesmo Espírito que Jesus prometera aos seus discípulos, o mesmo Espírito que desceu sobre os discípulos no dia de Pentecostes, cinquenta dias depois da Páscoa. E é novamente este Espírito Santo de Jesus que vem sobre cada pessoa que recebe o Sacramento da Confirmação. [1285–1288, 1315]

Lendo nos Atos dos Apóstolos, escritos poucas décadas após a morte de Jesus, vemos São Pedro e São João numa “viagem de confirmação”: ambos impuseram as mãos sobre os novos cristãos, que antes “tinham sido apenas batizados no nome do Senhor Jesus”, para que o coração destes cheio do Espírito Santo. (113–120, 310–311)

205 — O que acontece na Confirmação?

     Na confirmação, é marcado na alma de um cristão batizado um selo indelével e eterno, que só pode receber uma vez. O dom do Espírito Santo é a força do Alto em que esse cristão realiza a graça do seu Batismo ao longo da vida, como “testemunha” de Cristo. [1302–1305, 1317]

     Ser confirmado na fé significa fazer um acordo com Deus. O confirmando diz: sim, eu creio em Ti, meu Deus; dá-me o Teu Espírito Santo, para que eu Te pertença totalmente, nunca me separe de Ti e Te testemunhe com o corpo e com a alma, durante toda a minha vida, em obras e palavras, em bons e maus dias! E Deus diz: sim, Eu também creio em ti, Meu filho, e te darei o Meu Espírito e até a Mim mesmo; pertencer-te-ei totalmente; nunca me separarei de ti, nesta e na vida eterna; estarei no teu corpo e na tua alma, nas tuas obras e nas tuas palavras; mesmo que Me esqueças, estarei sempre aqui, em bons e maus dias. (120)

206 — Quem pode ser confirmado e o que é exigido de um candidato à Confirmação?

     Pode ser admitido à Confirmação qualquer cristão católico que tenha recebido o Sacramento do Batismo e esteja em “estado de graça”. [1306–1311, 1319]

Estar em “estado de graça” significa não ter cometido nenhum pecado grave (pecado mortal). Mediante um pecado grave separamo-nos de Deus e só nos podemos reconciliar com Ele através da Penitência. Um (jovem) cristão que se prepara para a Confirmação, encontra-se numa das mais importantes fases da sua vida. Ele fará tudo para aprender a fé com o seu coração e o seu; rezará pelo Espírito Santo, só e juntamente com os outros; reconciliar-se-á consigo, com as outras pessoas do seu meio e com Deus, através do sacramento da Penitência, que também aproxima de Deus quando se comentem pecados menos graves. (316–317)

207 — Quem pode confirmar?

     O Sacramento da Confirmação é normalmente presidido pelo Bispo. Por razões pastorais, o bispo pode incumbir determinado sacerdote de o celebrar. Em caso de morte, qualquer sacerdote o pode fazer. [1312–1314]

  • Facebook Clean Grey

© Paróquia de Santo Amaro - Pe. Ignácio F. Rodrigues