Ser acólito é acima de tudo um ministério que remonta aos primórdios da Igreja Católica (existem relatos históricos de existência de acólitos no ano de 251).

     A palavra acólito vem do verbo acolitar, que significa acompanhar no caminho.

Quem é acólito segue e serve, em primeiro lugar, Jesus no Seu altar, na Sua igreja.

Na Eucaristia, o acólito acompanha e serve o presidente da celebração ajudando-o quando necessário. 

   É da responsabilidade dos acólitos garantir que as celebrações sejam dignamente celebradas, seguindo o seu ritual próprio e todos os seus preceitos.

   Ser acólito não é desempenhar um serviço como outro qualquer. Quem é acólito desempenha funções, mais próximas de Jesus, junto da Palavra e da Eucaristia que Ele nos deixou.

  O acólito deverá pois aprender a servir como Jesus, com delicadeza, prontidão e alegria. Jesus deverá ser o modelo a seguir. Para isso o Acólito deverá preparar-se bem e desempenhar as suas funções o melhor que seja capaz, dando bom exemplo diante de todos.

   O acolitado é um serviço prestado em grupo, e só em grupo faz sentido!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

São Tarcísio - Padroeiro dos Acólitos

Site do Secretariado Diocesano

    São Tarcísio é um menino santo. Ele é o padroeiro dos acólitos e cerimoniários. Isso pelo fato de ele ter sido acólito, aquela pessoa que ajuda o sacerdote nas missas e prestava seus serviços na Igreja de Roma.

 

Perseguição

    Durante a perseguição de Valeriano, imperador de Roma (253-260), muitos cristãos foram presos e martirizados. Enquanto estavam na prisão esperando a morte, os cristãos desejavam receber a Santa Eucaristia para se fortalecerem com o Corpo de Cristo. Mas era muito difícil entrar nas cadeias com a Santa Comunhão.

 

Um menino cheio de coragem

    O Papa Sisto II queria, mas não podia levar a Eucaristia aos presos antes de serem mortos. Então, com apenas 12 anos de idade, Tarcísio se ofereceu para fazer este serviço. Ele dizia estar disposto a até mesmo dar a sua vida para que as hóstias sagradas não caíssem nas mãos dos pagãos. Mas o papa, olhando para ele, disse: "És jovem ainda, Tarcísio, e não sabes desempenhar esta santa missão". Tarcísio retrucou: "Tanto melhor, porque de mim ninguém desconfiará, podendo de tal maneira me aproximar de nossos irmãos encarcerados. E também sei guardar as Santas Hóstias e nunca as entregarei aos pagãos." Diante de tal atitude o papa não teve dúvida e entregou a ele uma caixa de prata com as Hóstias.

 

Perseguição

    E Tarcísio foi cumprir sua missão. Caminhava firme pelas ruas, quando outros meninos o chamaram para brincar, pois faltava um para completar a brincadeira. Tarcísio se desculpou, dizendo estar com pressa. Um rapaz pegou-o pelo braço e quis forçá-lo. Tarcísio resistiu. Então, perceberam que ele segurava algo. Curiosos perguntaram o que era. Não atendendo às suas exigências, tentaram arrancar o segredo de suas mãos. Uma pessoa que passava pelo local, vendo a confusão, disse: "Ele leva o Deus dos cristãos!" Então, os rapazes caíram sobre o pobre menino para lhe arrancar à força as Santas Hóstias.

 

Força sobrenatural

    Tarcísio segurava com tanta firmeza o tesouro, que força alguma conseguiu arrancá-lo. Porém, eles espancaram e maltrataram Tarcísio sem piedade. Exausto e quase morto, segurava as Santas Hóstias com força sobrenatural. Bateram nele e o apedrejaram. E, mesmo desmaiado, já quase morto, São Tarcísio não soltou o corpo de Cristo em suas mãos. De repente, então, surgiu um soldado romano, que também era um cristão disfarçado, mas já era tarde demais. Tarcísio já estava quase morto. Mas, aí, movido pela força de Deus, o menino soltou o Corpo de Cristo, entregou a caixa de prata ao soldado e faleceu. Depois de morto, o soldado levou seu corpo para as catacumbas, onde Tarcísio foi sepultado.

 

Veneração

    Ainda é possível ver inscrições e restos arqueológicos sobre São Tarcísio nas famosas catacumbas de São Calisto. As inscrições comprovam a veneração a São Tarcísio. O Santo Papa Damaso I fez uma inscrição em seu túmulo, que diz: "Enquanto um criminoso grupo de fanáticos se atirava sobre Tarcísio que levava a Eucaristia, o jovem preferiu perder a vida, antes que deixar aos raivosos o Corpo de Cristo". Sua festa é celebrada no dia 15 de agosto.

 

 

Oração do Acólito

 

Senhor Jesus Cristo,
sempre vivo e presente connosco,
tornai-me digno de Vos servir no altar da Eucaristia,
onde se renova o sacrifício da Cruz
e Vos ofereceis por todos os homens.
Vós que quereis ser para cada um
o amigo e o sustentáculo no caminho da vida,
concedei-me uma fé humilde e forte,
alegre e generosa,
pronta para Vos testemunhar e servir.
E porque me chamaste ao Vosso serviço,
permiti que Vos procure e Vos encontre,
e pelo Sacramento do Vosso Corpo e Sangue,                                 Hino do Acólito
Permaneça unido a Vós para sempre.
Ámen.

  • Facebook Clean Grey

© Paróquia de Santo Amaro - Pe. Ignácio F. Rodrigues